https://4.bp.blogspot.com/-jUMyi_QY5SQ/WmndaHYRh2I/AAAAAAAAAh8/y6ItHkJevXoe-xR5GzaL3QhzqK77kF9WgCLcBGAs/s72-c/CelioStudart.jpeg

Fortaleza poderá contar com o "Disque Maria da Penha": um novo meio para combater a violência contra as mulheres

Em estudo divulgado pela ONU Mulheres, realizado pela Universidade Federal do Ceará- UFC, em parceria com o Instituto Maria da Penha, a Cap...
Em estudo divulgado pela ONU Mulheres, realizado pela Universidade Federal do Ceará- UFC, em parceria com o Instituto Maria da Penha, a Capital cearense ficou em terceiro lugar, no ranking de cidades nordestinas que mais apresentam violência doméstica física contra as mulheres.

Tendo em vista o grande número de casos, um novo meio para denunciar a violência contra a mulher poderá ser implementado em Fortaleza. É o "Disque Maria da Penha", sugestão de autoria do vereador Celio Studart (SD), através de um projeto de lei, que deverá ser aprovado, na volta dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal, em fevereiro.



O Disque Maria da Penha irá funcionar como um canal exclusivo, para receber denúncias anônimas de violência doméstica e familiar contra a mulher.

De acordo com o PLO, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), disponibilizará número de telefone e/ou endereço eletrônico para recebimento das denúncias.

Dessa forma, a Secretaria poderá, a partir das denúncias recebidas, tomar medidas de assistências às vítimas, podendo, inclusive, solicitar encaminhamento da Guarda Municipal de Fortaleza, ao local da ocorrência, a fim de prevenir ou fazer cessar, possíveis atos de violência.

"Atualmente, a violência doméstica e familiar contra a mulher pode ser denunciada pelo Ligue 180, número da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, do Governo Federal. No entanto, não há nenhum canal de denúncias próprio do Município de Fortaleza. Assim, a criação do Disque Maria da Penha é de extrema importância para que a Prefeitura de Fortaleza possa atender, acompanhar e monitorar as vítimas de violência contra a mulher na capital, " enfatiza o vereador.

O projeto foi protocolado e segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara Municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário