https://1.bp.blogspot.com/-Yb4G4hX7yWc/Xon2gFqvvbI/AAAAAAAAB64/uzq10xxvZiUnPL4DtsB0141yTiBUhCD2ACLcBGAsYHQ/s72-c/20200405_121651.jpg

Não abandone animais

Diante dos impactos da pandemia do coronavírus, é preciso fazer um apelo à sociedade: não abandonem seus pets! Lembrando que o coronavírus n...
Diante dos impactos da pandemia do coronavírus, é preciso fazer um apelo à sociedade: não abandonem seus pets! Lembrando que o coronavírus não infecta animais e não existe evidência de transmissão do vírus entre humanos e os nossos bichos, segundo a OMS.

E mais: eles precisam de nós, assim como a presença deles é ainda mais benéfica para a família neste momento de turbulência. Por isso, carinho, higiene e organização ajudam a atravessar a crise de forma mais tranquila no ambiente doméstico, onde tantas famílias estão confinadas mundo afora.

Durante o período mais grave da proliferação da Covid-19 na China, foram registrados dezenas de maus-tratos e abandono de cães e gatos nas ruas. Não podemos permitir que ocorra o mesmo no Brasil.

É verdade que manter a higiene e alimentação dos nossos “amigos”, neste período crítico, requer ajustes e organização, dadas as restrições de livre circulação e o fechamento de parte expressiva do comércio. Mas eles merecem todo o nosso esforço em prol do seu bem-estar.

Além de cruel e desumano, no Brasil o abandono de animais domésticos em áreas públicas é crime previsto em lei. Ao adotar seu bichinho, espera-se uma guarda responsável, que consiste especialmente em planejar e tomar alguns cuidados necessários e obrigatórios para manter seu pet saudável e feliz.

O abandono, inclusive, pode comprometer as políticas sanitárias. Vale lembrar que, circulando livremente, os animais podem contrair doenças e se tornarem vetores de dispersão para seres humanos. A crescente população de animais em situação de rua é um dos maiores desafios às autoridades públicas no que diz respeito à política animal.

Portanto, vamos passar este período juntos. Seguindo as recomendações sanitárias, nos organizando e, principalmente, reforçando nossos vínculos, em breve teremos nossas rotinas de volta.

Célio Studart

Deputado federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário